.

 

 

 

Visita ao reino de Sião, Tailândia

 

Mais uma vez estou de volta a

esta cidade, que conheci a primeira vez, em 1989, e já lá vão mais de 20 vezes, mesmo assim há sempre algo para descobrir.

Depois de ter visto na TV as notícias das inundações que fizeram muitos mortos, mas uma vez chegado apenas aparecem as marcas nas paredes o resto nada mais existe.

Hoje mais uma vez fui visitar o Grande Palácio, que sempre tem algo para descobrir, mesmo depois de o ter visitado ai umas 12 vezes.

Esta cidade esta também ligada aos portugueses, que depois de terem estado na antiga capital e onde muitos deram a vida para a defender do ataque birmanês, vieram com o rei e ajudaram a fundar esta cidade, onde ainda hoje são conhecidos como portuguete.

Os primeiros portugueses que chegaram a estas terras, que antigamente eram chamadas de Reino do Sião, foram os missionários portugueses, dominicanos, Jesuítas e Franciscanos por volta de 1509 antes da conquista de Malaca, tendo começado a cristianizar os siameses, que depois foram integrados na diocese de Malaca em 1557.

Oficialmente o primeiro português que chegou ao reino de Sião, foi Duarte Fernandes enviado, por Afonso de Albuquerque depois da conquista de Malaca em 1511, tendo a honra de chegar em primeiro ao reino de Pegu, (actual Birmânia), grande inimigo do reino de Sião, a Rui Nunes da Cunha.

Os portugueses alem de terem sido os primeiros, que vieram para se fixar mas sem a ideia de conquistar, se adaptaram muito bem sendo seduzidos pelas mulheres daqui, o termo de mulher fácil,  vem da facilidade com que eles as conquistavam, tendo casado todos aqui havendo hoje uma comunidade de pessoas que descendem dos antigos portugueses.

Mas porque tão fácil? Simples, havia muita mulher e os portugueses eram na grande maioria rapazes solteiros e eram apoiados pelo rei, a que constituíssem família o que ajudava na integração. No ano passado estive por aqui e visitando mais uma vez Ayutthhya, encontrei um que era guarda,do templo dessa cidade e como tinha parecenças europeias, lhe perguntei, qual não foi o meu espanto tinha um nome português já um pouco modificado mas que me disse descender de portuguete.

Existem as ruínas das igrejas de S. Domingos e, que foram mandadas escavar há alguns anos onde foram encontrados muitos corpos que deviam pertencer aos primeiros portugueses que andaram por estas terras.

Tem muita culinária que ainda guarda o segredo dos que a trouxeram, podem ser encontrados fios de ovos como se faziam há 500 anos.

Por hoje è tudo aqui esta muito quente, mas muito bom.

Ate ao próximo artigo que espero encontrar algo mais para dizer a todos vocês.

 

.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

19 + eighteen =