Passeio cultural, o lombo dos cavaleiros, Couço, penedo castanho e vale de acervas.

 

Sábado bem pela manha fria, fui dar uma volta para ver o que á de antigo por estas paragens, depois de chegar a chenrinha onde deixei a bicicleta, b

egui direção do vale para ver o que havia no cume do monte porque nas suas encostas já encontrei vestígios de povos muito antigos, um na regada soalheira e outro no vale, mas como desejo ver e pesquisar tudo fui, mas não encontrei nada, apenas mais um pouco de restos de telha, no sitio já conhecido por mim junto do Castanheiro que fica sobranceiro Quinta do Santo Antão, e que com sua idade já deve ter visto muita coisa.

 

Depois passei pelas antigas eiras (lugar onde ao habitantes da quinta trilhavam os cereais), direção o penedo castanho, e por mais voltas que tenha dado não encontrei a marra que serve de divisão do termo de Remondes para o termo de Soutelo, assim como não encontrei nada, depois fui ao lameiro longo, assim chamado por ser tão grande, onde outrora existiam frondosos freixos, que eram o alimento do gado hoje tudo esta destruído, nada existe.

O caminho-de-ferro foi responsável pela primeira sangria de freixos, que foram usados nas travessas da antiga linha do Sabor, e depois foi o tempo que se encarregou do resto.

Eu lá ia no meu passeio relembrando o passado e sempre a procura de vestígios e a saída do lameiro encontrei uns restos de tenho, que a principio me pareceram recentes mas depois encontrei alguns de telhas bem grossos e por isso tenho que voltar com mais cuidado para aprofundar tudo o que encontre.

Amigos caçadores, a minha caça é outro e parece que os animais o sabem raro é o dia que não encontro algo ontem ainda vi um coelho saltando na minha frente e eu lhe disse tens muita sorte meu amigo amanhã tem cuidado

Ainda vi a quinta do Santo Antão, de um lugar nunca antes visitado por mim, o Penedo Castanho e como a foto do artigo mostra muito linda.´

Para aqueles que não estão por aqui, fica a noticia que foram feitas muitas prospecções nas margens do rio, desde o poço do revolal até ao carrascal, são cortes no terreno em forma de retângulo levados até a fraga afim de estudar os sedimentos, para ver se ouve aqui actividade humana na pré-história, mas isso tratarei noutra ocasião.

Parece que Outono esta chegando, o tempo que temos tido mais parece de varão, e faz muita falta a chuva, e é esperada a partir de hoje que venha e muita .

Ctodos. A.B.Cordeiro

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

14 − eight =