Santo Antão.

O Santo Antão, conhecido como Santo Antão do Egipto, Santo Antão do deserto e pai de todos os monges, é considerado como o fundador do

monaquismo Cristão seu nome latino é Antonius, e nalgumas traduções displicentes de suas obras o seu nome aparece como António do Deserto, do Egipto, ou o Grande.

Como tem suscitado alguma confusão com Santo António De Lisboa preferível optar pelo nome de resto já consagrado pela tradição vernácula de Santo Antão

A sua vida foi relatada por Santo Atanasio de Alexandria, Na Vita Antonii pelo ano de 360 Segundo este, teria nascido em 251 em Tebaida , no alto Egipto e falecido em 356 portanto com 105.

Cristão fervoroso, com cerca de 20 anos tomou o Evangelho à letra e distribuiu todos os seus bens pelos pobres, partindo de seguida para viver no deserto. Ai, segundo o relato de Atanásio

E tal como sucedera com Jesus, foi tentado pelo Diabo, mas por muito mais que os quarenta dias que durou a tentação deste, não hesitando os diabos a ataca-lo porem Antão resistiu as tentações, e não se deixou seduzir pelas tentadoras visões que se multiplicavam a sua volta.

O seu nome começou a ganhar fama, e começou a ser venerado por numerosos visitantes. Sendo visitado no deserto por inúmeros peregrinos.

Em 311 viajou para Alexandria para ajudar os cristãos perseguidos por Maximino Daia,e regressou em 355 para impugnar a doutrina ariana .Foi considerado Santo em vida, capaz de realizar milagres. Levou muitos a conversão. Morreu centenário em 356.

A vida de Santo Antão e suas tentações inspiraram numerosos artistas desde a antiguidade até aos nossos dias.

Os religiosos que, tornando-se monges adaptaram o modo de vida de Antão, foram chamados de eremitas, ou anacoretas, opondo-se aos cenobitas que escolheram viver em comunidades monásticas.

Foi o mais conhecido padre do deserto, um dos maiores Padres da Igreja è celebrado por todas as confissões cristãs a 17 de Janeiro.

O Santo Antão deve ser venerado nesta, na quinta do mesmo nome. Num documento, de 1750 já lã estava uma capela em sua honra

O primeiro documento que fala de Santo Antão nesta terra foi. Quando baptizaram a infanta D. Isabel em 1669, de entre os presentes no seu baptizado estava o Marquez de Tavora D. Luís Alvares de Távora senhor de muitas terras, de entre elas Remondes com a sua quinta de Santo Antão.

Noutro documento existente na torre do tombo datado de 1750, o pároco diz que entre o que havia em Remondes estava a quinta do Santo Antão

Pelo que soube o santo foi roubado mas hà quem diga que ele foi de ferias para Lisboa só que nunca mais voltou… que pena..

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

nineteen + sixteen =