Remondes, uma aldeia bem portuguesa situada no concelho de Mogadouro,

distando do Rio Sabor pouco mais de 5 quilómetros, a uma altitude de 630, embora haja muitas teorias sobre o seu nome, para uns é de origem germânica para outros provirá remonde Anes um homem que aparece num documente de Zamora. Há ainda outra teoria que diz que provem de remendos, devido a terem existido nesta freguesia alguns pequenos povoados que se agruparam depois da fundação da nacionalidade.

Quando foi fundado Portugal, Remondes era um vilar novo, devido a ter-se despovoado aquando da ocupação árabe, por isso foi promovida a junção de todos os pequenos povoados que ao tempo deviam ser o S. Filipe e a aldeia atual, onde existiria o núcleo principal.

Por aqui passaram muitos povos que ocuparam estas terras, era o lugar ideal para poder passar o rio Sabor a caminho de Mirandela, pois durante grande parte do ano o rio Sabor não permitia a sua passagem, por isso foram construídas várias pontes no mesmo local a que chamam de Ponte velha, e onde hoje se ergue uma nova ponte, e junto dela foi encontrado um povoado romano, pequeno no sítio da Guicha mas que devia ter sido um posto alfandegário, e do outro lado do rio no termo de Castro Vicente ai se situa um povoado romano no sítio do Carvalhinho, onde foram encontrados vestígios romanos.

Em Remondes foram encontrados vários sítios arqueológicos, grande parte na Ribeira de Remondes ou na ribeira dos pisões como lhe chamam os habitantes de Soutelo.

O sitio arqueológico maior e onde foram encontrados mesmo sem ser escavado foi o sitio do S. Filipe onde existia uma capela em sua honra que deve ter deixado de existir depois do repovoamento da atual aldeia, e uma parte dos seus habitantes deve ter seguido para a Quinta de Santo Antão que deve remontar a idade media.

Esta é a aldeia de Remondes que bairrismo a parte e não sei porque o seu nome foi colocada a muita gente que hoje o ostenta em muitos países, como as antigas colonias de africa e do oriente, e naturalmente do Brasil, para onde foram depois de 1900.

Muito gostaria de poder entrar em contacto com pessoas que tenham este nome e um dia poder fazer um convívio aqui nesta terra que de qualquer maneira também é vossa, e onde através da minha pessoa que hoje sou o presidente da união de freguesias de Remondes e Soutelo, e que há muito anda a tentar fazer uma árvore genológica de todos que desta terra fazem parte e neste caso usam o seu nome.

Quero que fique bem claro, conhecendo eu muito bem o que se passa na net não tenho interesse algum a não ser poder transmitir o meu amor e entusiasmos desta terra, a sua história e sua cultura, e convida-los a todos que participem e façam quantas perguntas quiserem eu responderei sempre que me for possível com muito prazer.

A bem da nossa terra, da terra que vos deu o nome, aqui estou a espera das vossas perguntas, e ao vosso dispor

António Cândido Baptista Cordeiro

        

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

3 × two =