Os Pisões.

Desde sempre que ouvi falar em Pisões

e prisoeira, mas nunca tinha pensado em escrever sobre isto, embora há muito que soubesse o que era e para que servia.

Pisão, era um engenho artesanal movido a água que servia para bater o burel e também para moer cereais e serrar madeira, eram normalmente localizados em locais de corrente contínua e com forte inclinação.

Na aldeia de Remondes existe um local onde outrora existiram piãos e onde podem ainda ser vistas as açudes que se destinavam a reter a água para que a corrente fosse constante.

Junto da estrada nacional 216 que de Macedo de Cavaleiros segue para Mogadouro na ribeira de Remondes, na direção nascente podem ser vistos ainda vestígios desses tempos, e que perduraram até hoje na toponímia ponte dos pisões.

Os açudes que serviram outrora para movimentar os pisões depois foram utilizados para regar um terreno que aqui dá o nome de regada.

Segundo um amigo meu Lois Ladra, estes engenhos devem ter chegado até nos por volta do século X, havendo no entanto escritos, que falam deles já no império romano.

Existe ainda na toponímia desta terra outro nome ligado aos pisões, piso eira, que é localizada na aldeia, de onde era subtraída, uma espécie de greda também chamada de argila-esmética que servia para branquear os tecidos e absorver as substâncias oleosas que maculam os tecidos.

Falta ainda fazer uma pesquisa de toda a ribeira a fim de poder ser encontrados todos os vestígios de outros pisões que existiram no local.

Ontem estive neste local e vi muita coisa só que neste momento não é possível ir mais além.

Atenciosamente da ponte dos pisões ….A.B.C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

1 × four =