e foi um período muito conturbado da nosso pais, nem as humildes terras de Trás Os Montes foram poupadas a essas lutas, os liberais eram os defensores da ordem, em que o poder era baseado na carta constitucional, os absolutistas eram defensores do poder absoluto e tenham muitos defensores na Igreja em que padres usaram o púlpito para fazer politica, tornando-se verdadeiros defensores de ideais que toda a europa desprezava, muitos foram aqueles que foram demitidos e expulsos das igrejas.

Esta terra esta ligada, a essa revolução, por volta de 1820, um general absolutista fugindo das tropas liberais que o tinham derrotado em Mirandela, atravessou a velha ponte de Remondes e pernoitou com suas tropas no sitio das eiras, e como era muito importante defender a ponte, se necessário destrui-la para impedir o avanço dos liberais e montando uma guarda junto a ponte que era rendida cada duas horas acontecia que muitos militares quando chegavam, passavam para o lado dos liberais, e os outros vinham de volta para Remondes. Aqui o General escreveu um documento que vi na Torre do Tombo, falando das dificuldades que sentia e do seu desejo de seguir para Espanha, onde pensaria estar seguro.

Algumas semanas depois que o absolutismo foi derrotado, havia muitas contas ajustar, e como sempre havia vencedor e vencidos, e no lugar do olival do morto, perta da ponte quando os liberais levavam alguns presos, viram um padre que andava plantando oliveiras com operários, mas desde que viu os soldados, fingiu que estava morto, e quando o soldado perguntou e esse ai, Esta morto! Esta Morto, os outros fugiram mas ainda levaram um deles que coitado se queixava que tinha uma mulher e uns filhos para criar, que o deixasse ir para casa, que nada tinha feito como de costume o soldado tinha bom coração e levou-o até a Quinta dos Porrais e disse-lhe, que o ia ajudar, que esperasse até ser de noite e depois mandou que ele se escondesse, até as tropas passarem, ele lá regressou a Remondes onde toda a aldeia, o esperava, porque a noticia tinha sido levada, pelo morto, ou pelo que se fingiu morto por isso todos sabiam o que tinha sucedido porque o cura já tinha informado os seus paroquianos. E por causa deste episódio o local ainda hoje é conhecido por Olival do Morto.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

eleven + 10 =