Pertenceu esta região, à Galiza, pelo último terço do século I ,antes de Cristo.

Os conventos jurídico, do noroeste da Península Ibérica, pelo ano de 27.a.c., o imperador Augusto dividiu a Península Ibérica, em três partes, a Tarraconense , capital em Tarragona, Lusitânia capital em Mérida e Bética capital em Sevilha.

Nesta divisão o território do nosso concelho, pertencia a Tarroconense e faziam parte dela, inúmeros conventos jurídicos, de entre eles Astorga, e Braga que são os únicos que nos interessam, porque ambos disputavam estas terras.

O imperador Constantino no ano de 330 da nossa era dividiu a Península outra vez, em 5 províncias, a Tarraconense capital em Tarragona, Cartagena, capital em Cartagena e depois Toledo, Bética,capital Sevilha, Lusitânia, capital Mérida, e Galiza capital Braga.O que nos interessa é o que esta relacionado com a nossa região a qual pertencia a totalidade a Galiza.

                                                     O Parochial Suevo

O actual concelho de Mogadouro pertencia ao Pagus Astiastico, ficando só de fora, as aldeias que se encontram,

na margem esquerda, do Sabor, temos que concluir que Remondes pertencia ao Pagus Astiastico.

Mudou este Pagus de nome, no reinado de D. Dinis, passando a chamar-se de Terras de Miranda, que abrangia desde Lagoaça, até Miranda.

Naquele tempo existiam as seguintes Igrejas, que eram taxadas; Mogadouro, Penas Roías, Travanca e Lagoaça, mas as outras aldeias do concelho existiam todas, embora algumas estivessem despovoadas e se chamavam os vilares novos, em contra das outras que chamavam vilares velhos. Remondes era um vilar novo.

Segue noutro artigo ….Fontes Joaquim Maria Neto, o Leste do Territorio Bracarense

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

three + 15 =