Famílias de Remondes, os Pichorros.

Quem não conheceu, o Manuel Pichorro

, digo Manuel Gonçalves? Figura típica desta terra e terror dos miúdos que iam para a escola, ele atormentava a todos, só que alguns não lhe tinham medo e apedrejavam-no, foi o ultimo a ser chamado com esse nome nesta terra, e  que era mal visto e muitos pensavam ser uma alcunha como tantas, mas não era e fui a  encontrar nos documentos, uma família Pichorro, das mais abastadas da aldeia, e que perdura até hoje, embora com outros apelidos, evitam assumir-se com esse nome, mas que continuam a ser pichorros.

De onde vieram? Uma pergunta muito fácil mas de resposta difícil. Aqui na aldeia são mencionados em documentos desde 1750, o primeiro documento em que aparece um pichorro, foi aos 28-08-1754, se fez um ofício pela alma de Carolina Rui Pichorro, porque ela fazia parte da irmandade das almas de Paradela, era mordomo António Martins Baptista também de Remondes, mas com certeza não apareceram por acaso

Por isso gostaria de saber de onde vieram, tentei pesquisar mas encontrei apenas uma aldeia que se chama Sobral-Pichorro, concelho de Fornos de Algodres ligada a cristãos-novos mas não é apelido de ninguém.

Tudo o que sei é que era uma das famílias mais tradicionais desta terra, existindo também em Brunhoso, embora tenham tido origem em Remondes.

O nome é muito raro e só se conhecia aqui a pichorra que era uma mesa com uma buraco onde era colocada uma vasilha de barro e servia para transportar vinho ou agua, de onde havia a expressão traz a pichorra que temos sede.

Pode este nome ter vindo de uma alcunha? Tudo é possível, mas não a encontro por estas terras, o que sei é que em 1780 viviam em Remondes vários Pichorros, de entre eles Francisco Rodrigues Pichorro que casou com Bernarda Afonso e tiveram descendência, que ainda perdura nesta terra.

Aos 28-02-1821 casou na Igreja paroquial de Remondes um individuo com o nome de Joaquim Afonso, filho legítimo de Francisco Rodrigues Pichorro e Bernarda Afonso, nesta época era a mãe que dava o apelido aos filhos. Casou com Maria Teresa Alves filha legítima de Miguel Alves, natural de Lagoa, Macedo de Cavaleiros e Maria da Purificação natural de Remondes.

Aos 23-08-1841, casaram em Remondes Basílio Rodrigues Afonso, filho legítimo de Francisco Afonso, e Maria da Conceição Pichorra, com Francisca Joaquina das Neves, filha legítima de Manuel Joaquim, e Maria das Neves.

Muitas outras pessoas existem nesta terra que descendem deste apelido mas que tentam sempre esconde-lo muitos se não fosse eu a dizer-lhe nem imaginavam que tinha sangue Pichorro. Os nomes são todos bons as pessoas é por vezes são más.

A.B.Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

18 + seventeen =