A taberna do Surrilha, e suas historias

Desde tempos antigos, possivelmente

aquando da construção da ponte que existiu e que foi mandada fazer no fim do século XVI, que devem ter existido no S. Bartolomeu tabernas, mas a mais conhecida, e que ficou na memória de todos, foi a do Surrilha nesta casa que ainda existem as ruínas onde esteve até por volta de 1920, tendo existido outras aquando da construção da estrada de Lagoa.

Eram pequenas casas que vendiam apenas vinho e tabaco, e por vezes serviam para fazer uns petiscos a base de caça, que era abundante por estas paragens.

Existem inúmeras historias relacionadas com esta taberna, que algumas chegaram até nos contadas por pessoas que as ouviram de outras pessoas, e aqui voltamos a literatura de cordel.

Contavam que por vezes abusavam da mulher do Surrilha, e nada podia fazer, porque normalmente era um local frequentado por viajantes, e entre estes havia, o que hoje se chamam ladrões, mas que também tinham quem os enfrentasse com dureza.

Contam, que uma vez um senhor que morava em Linhares, grande proprietário no concelho de Mogadouro, e seguindo para o Sendim da Ribeira, onde tinha um casal, e quando estava chegando com o criado ao S. Bartolomeu, e desejando beber um copo, como de costume viu o Surrilha pedindo ajuda, para impedir que lhe violassem a mulher, ele sozinho nada podia fazer para impedir tal selvagem actor, saiu e ouvindo barulho veio pedir ajuda , ele bem conhecia o Senhor Acácio Cordeiro, e o seu criado, e contou tudo, sem pedir nada lá foi ele, e sem mais, com uma vara que trazia, desferiu um grande golpe, que terminou com tudo, pobre do homem……imaginem a situação do ladrão, de calcas na mão tentando fugir, e para não ser mais castigado, correndo pela caminho abaixo blasfemando, isso não se faz, seu ladrão de meia tigela , tem tanta mulher por ai…..Que abusar da mulher do taberneiro é sinal quem nem ladrão saber ser, aprende e aparece.

Depois que tudo passou, la serviu o Surrilha uns copos de vinho, que foram saboreados pelo senhor Acácio e seu criado e pelo Surrilha que também bebeu, quase que era como um festejar de uma Victória.

Na taberna era uma aventura todo a noite nunca se sabia o que ia acontecer naquele tempo era muito o movimento por este caminho, que leva a Remondes, direcção de Mogadouro.

Se as paredes desta casa, onde funcionou a Taberna do Surrilha falassem, muito teriam que contar, e eu não poderia de deixar de escrever sobre esta Taberna, que foi sem dúvida a mais famosa de Remondes.

Hoje só restam as paredes que ainda hoje se pode ver, que eram bem feitas, e que ficavam de frente, da antiga Capela do S. Bartolomeu, onde hoje existem uns carrasqueiros , na curva que o caminho fazia quando se dirigia para Remondes.

A taberna do Surrilha, e as suas historias…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

fifteen + ten =