Documento de 1758 e do que Remondes tinha nessa época.

 

Naqueles tempos, as comunicações entre os povos eram lentas, e muito difíceis, e um historiador que era também padre, resolveu fazer história sem sair da cidade onde morava, e a melhor maneira era escrever aos páracos, das freguesias perguntando o que estas tinham, e por isso nesse documento, enviado pelo pároco desta freguesia, onde ele resumia tudo o que ela tinha, embora com algumas limitações.

Segue a descrição do documento.

Tendo pelo certo que responder, desta freguesia de Santa Catarina de Remondes, informando, por testemunhas, em que foi assinado o seguinte.

Fica esta freguesia de Santa Catarina de Remondes, na província de Trás-os-Montes, e no arcebispado primas. Pertence a comarca da Torre de Moncorvo, e a sede de Miranda, e ao concelho de Mogadouro.

É donatário o excelentíssimo Marquez de Távora. Tem sessenta fogos e cento e trinta e uma almas.

Esta situada num vale, defronte do lugar de Lagoa, bispado de Miranda, termo da cidade de Bragança, dista desta uma légua.

Tem termo livre, para cultura de frutos. (A paroquia,) está fora do lugar em uma aldeia, que se chama, santo Antão com três fogos.

O orago é Santa Catarina, tem um altar do Sagrado Coração, e dois colaterais, um da Senhora do Rosário da paz do evangélio, centro , da parte da Epistola de S. Sebastião . A Igreja `edificada tem 4 paredes, não tem campanário.

Tem cura anual apresentado pelo Marquez de Távora, e tem de rendimento oito mil reis.

Este é um dos 4 artigos deste decumento que espero gostem obrigado pela atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

two × 2 =