Os Moinhos.
No alvorecer da sedentarizaçâo humana o homem domesticou os cereais que lhe serviram para se alimentar durante toda esta vida, mas cedo se lhe deparou outro problema .Como reduzir os grãos a farinha?

Os primeiros engenhos eram mós manuais que eram constituídas de uma pedra redonda que era fixada sobre outra formando uma pequena bacia onde o grão depois de moído ia parar. São estes os mais antigos utensílios conhecidos por estas paragens  para moer o pão existindo muitos exemplares, mas em Remondes não tenho conhecimento deles, embora tivessem os habitantes desta terra  usado os mesmos utensílios.

Com a expansão demográfica não poderiam estas mós responder às necessidades de toda esta gente. Além de ocuparem muito tempo fabricavam pouca farinha. Assim o homem viu-se obrigado a inventar algo diferente que não dependesse da sua mão e com pouco esforço fabricasse o suficiente para o seu povo. É neste contexto que vão aparecer os primeiros moinhos puxados pela corrente da água.(também os há de vento mas aqui não)

Hoje sim se adapta a descrição de Miguel Cervantes  sobre os moinhos; que não são mais que espíritos vivos que guardam tantas histórias e maldições de tempos que eram difíceis para o homem sobreviver. Por isso deviam ser preservados e não estarem a enfeitar jardins que nada têm a ver com a sua história, a fim de que os vindouros pudessem  um dia apreciar o que os seus antepassados sofreram para manter viva  a chama da vida.

Vou falar de cada um dos moinhos que existiram na Ribeira e no Rio Sabor. Espero que gostem.

A.B.Cordeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

thirteen + one =