O Domingo de Ramos em Remondes

Em tempos que já la vão

era um Domingo muito desejado por todos principalmente pelos miúdos da aldeia, que viam nele um aproximar da tão desejada Pascoa.

Os ramos era o senhor sacristão que uns dias antes ia com seu burrito a procura deles la para as profundezas do ribeiro lá bem em baixo dos moinhos.

Cada um disputava o seu ramo que eram benzidos na igreja durante a missa, e depois seguia-se a procissão à volta da mesma e todos levavam religiosamente para casa o ramo.

Ainda me lembro que depois íamos coloca-lo nos trigais pedindo para que Deus os fizesse crescer tanto quanto a altura do ramo.

Havia também aqueles menos bafejados da sorte que os ofereciam aos padrinhos para que no dia de Pascoa não se esquecessem deles.

Hoje a vida já quase nem permite isso, fiquei admirado como a igreja ficou repleta de devotos, e como foi lindo vê-la enfeitada daquela maneira.

Quantas saudades dos tempos em que criança brincava com o ramo, e minha mãe me chamava atenção para respeitar a cerimónia, era lindo ainda sintam dentro do meu coração a felicidade que sentia porque a Pascoa estava muito perto e com ela os folares…

Os folares eram algo de muito bom para esses tempos de pouca fartura principalmente para quem nada tinha, e nesta terra hoje nada se compara todos tem algo de bom fico feliz com isso e espero gostem,

Foi Domingo de Ramos em Remondes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

7 + 10 =