A cavalinha, (Equisetum ssp), foi o único exemplar desta família descrito por Lineu em 1753.

O seu nome deriva do latim, composto de “equi” (cavalo) e “setum”, cauda ou seja rabo de cavalo.

È conhecida por vários nomes de entre eles; milho de cobra, erva-carnuda, rabo-de-gato, cauda-de raposa, rabo-de cobra.

As cavalinhas são plantas vasculares, existindo ao todo 16 espécies de plantas do género Equisetum.

Este género é o único da família das equisetaceae, e a única da família da ordem Equisetales, e da classe dEquisetopsida.

O género é comum nas cidades e esta presente em todos os continentes excepto Austrália e Antárctica.

São plantas perenes e herbáceas, secando no inverno, pelo menos na nossa terra, ou seja nos climas temperados.

São quase desprovidas de folhas, mostrando-se inicialmente como pequenas inflorescências translúcidas. Os caules são verdes e fotossensíveis, apresentando como características o facto de serem ocos, com juntas e estrias, dai o povo dizer que é uma planta com nozinhos.

È sem dúvida, uma das formas de vida mais antiga que existe sobre a terra, tem mais de 300 milhões de anos.

Não possui, nem flores nem sementes, algumas espécies possuem folhas verticiladas, mas de um tamanho insignificante

O caule é de cor verde, oco, fotossintético, com textura áspera ao tacto por causa da presença do silício, e pode ser encontrado de duas maneiras.

O caule fértil, geralmente curto surge na primavera, e apresenta na extremidade a espiga produtora de esporos, que serve para a sua reprodução, e também se reproduz através de rizomas caule estéril, geralmente longo, surge depois que o caule fértil murcha.

Sua composição química, é formada por grande quantidade de cilício, e quantidades menores de, cálcio, ferro, magnésio, tanino, sódio entre outros. Ácido caféico, ácido fenol-carboxilico e muitos outros componentes.

É adaptada a solos húmidos e por ser agressiva e persistente, deve-se ter cuidado para não se tornar uma erva daninha.

As suas propriedades adstringentes e diuréticas, auxiliam no tratamento de gonorreia, diarreias, infecções de rins e bexiga, estimulam a consolidação de fracturas ósseas, agindo sobre as fibras elásticas das artérias, actuam em caso de inflamação e inchaço da próstata, sendo ainda utilizada para combate de hemorragias ou cãibras, úlceras gástricas e anemias.

Há muito que ouvia dizer as pessoas desta terra, que havia cavalinha no termo de Remondes, mas foi difícil de encontrar, e seguindo o conselho dos mais velhos lá a encontrei num lugar chamado de Rebolal, fiquei encantado, depois de tanto procurar ao ver o primeiro caule, quase que me emocionei ao ver algo que há tanto procurava, fiquei muito contente e espero que todos gostem desta planta magica e milagrosa.

Outras se seguiram e por isso espero voltem, eu vos espero por aqui. Bom dia?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 × 3 =